NOTÍCIAS TRAPICHE

Mineração com microrganismos


Pensando em todo o custo e desgastes ambientais causados no método tradicional de extração metais do solo no campo da mineração a empresa Itatijuca Biotech, empresa que fornece tecnologia baseada em biotecnologia e química verde, resolveu trocar a queima do minério ou a aplicação de ácido nos terrenos por uma solução mais em conta e, ao mesmo tempo, mais sustentável que é a utilização de bactérias. Um método mais conhecido no mundo científico como biolixiviação.


O método da biolixiviação consiste, segundo um dos fundadores da empresa emergente, Rafael Ferreira, em alimentar as bactérias com o enxofre existente no minério fazendo com que o metabolismo dessas células produza ácido sulfúrico e, assim, realizar o feito ter os metais separados na solução dissolvida. Ainda segundo Rafael Ferreira, este método serve para resgatar o cobre e os seus componentes mas pode ser aplicada, também, em minas de ouro.


Utilizando bactérias do tipo Thiobacillus Ferrooxidans e Thiobacillus Thiooxidans, a técnica da biolixiviação pode ser feita em reatores químicos revestidos em aço, que são grandes tanques, ou pode ser feita por meio da aplicação da solução sobre pilhas de minério mas com toda a prudência e cuidados necessários para que o ácido sulfúrico não corra o risco de vazar e, assim, contaminar todo o solo. Por ser uma reação exotérmica, ou seja, libera energia em forma de calor, ela precisa de muita ponderação tanto sobre a temperatura, que deve estar abaixo dos 60ºC, sobre o tempo de duração de 7 dias do processo, quanto sobre a oxigenação no ambiente.


Todos estes cuidados para que o método de utilização da bactérias realmente funcione vem sendo aprovado principalmente pelo geólogo Ricardo Fraguas, diretor da empresa SSMA consultoria ambiental, que acredita que este método deu certo por evitar que os metais se acumulem no ambiente.


A empresa startup Itatijuca Biotech já faturou, no ano de 2016, o valor referente a mais de R$300 mil e espera atingir até o fim deste ano de 2017 R$1 milhão ao cumprir com o objetivo de dobrar a carteira de clientes. Um dos recursos financeiros mais visados por Rafael Ferreira, um dos fundadores da empresa, é o modelo de parceria no qual a empresa fatura um percentual sobre o ganho do cliente no local explorado.

Em Destaque
Noticias Recentes